As Cinzas de Angela [Angela’s Ashes]

Tudo começa quando uma família irlandesa sai de Nova York e volta pela Irlanda, no momento, assolada pela fome. Após a repentina morte da filha de apenas sete semanas, Ângela (Emily Watson) e seu marido desempregado e alcoólatra, Malachy (Robert Carlyle), partem do porto com seus quatro filhos, Frank, Malachy Jr. e os gêmeos Eugene e Oliver.

Quando chegam ao país, recebem uma acolhida fria. A avó de Ângela empresta-lhes dinheiro para irem morar num pequeno lugar na Windmill Street e qualquer esperança que ainda tinham da sorte favorecer-lhes desaparece quando o pai não consegue achar emprego e Oliver morre de subnutrição e friagem. Em poucos meses, morre também Eugene e o pai sente-se ainda mais fracassado, “bebendo” até o dinheiro do seguro-desemprego.

Ângela, então, parte em busca de ajuda humilhando-se em uma situação semelhante à de esmola, para proteger e cuidar de sua família. Uma mudança para outro local cria novas esperanças na família mas, como sempre, os McCourt se desapontam. O banheiro para todos os moradores da rua fica em frente à porta de entrada de sua casa, e o primeiro andar é tão úmido que passam a viver no andar de cima.

Em Roden Lane Ângela dá à luz a Michael. Frank (vivido por três atores em diferentes fases: Joe Breen, Ciaran Owens e Michael Legge) e Malachy vão para a National School de Leamy, onde os outros meninos debocham deles.

Sempre enfrentando dificuldades como fome, frio e todo tipo de desapontamentos, a família cresce em tristeza e miséria. O pai afoga-se cada vez mais na bebida e Ângela, tem cada vez mais filhos.

Dentro deste contexto sufocante e perturbador ainda surgem pérolas de esperança, como a lembrança de Frank de cenas felizes, além das boas deixas reveladas pelo sarcasmo inglês.

Logo, nas noites trágicas, geladas, visitadas pelo espectro da fome e arquejantes, sacudidas pela violência da tuberculose, Frank conhece, na intimidade, a impiedade da miséria.Tentando negar esta tristeza e melancolia, a única opção de Frank é partir, deixando para trás suas verdadeiras e amargas origens.

2 Respostas so far »

  1. 1

    fangsupforever said,

    nss essa historia, mexeu tanto com migo
    ‘KUKUKUKUKU

  2. 2

    Nyele Hendrick said,

    Você está sendo sarcática?


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: