23h52

O amor é que nem a ignorância. Quem não sabe de nada vive mais feliz na média dos dias. Mas também não tem os picos de felicidade de quem sabe além da conta. Nem os buracos negros. Os hipersensíveis, os supraconscientes, são catapultados de um extremo ao outro, do incrivelmente sublime ao mais profundo desespero, angústia, vazio. Se você é ignorante, vive uma coisa mais uniforme, contínua e previsível. Estável. A vida não é tão saborosa, mas também não é tão sofrida, porque você está seguro, não se deixa atingir. Com o amor é mesma coisa. Sem gostar demais de ninguém, a vida é mais uniforme, controlada, uma tarde de quarta-feira. A paixão não é garantia de felicidade. É um distúrbio. E, ainda assim, nada é mais intrigantemente belo.

Fonte: Volumetria

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: