Posts tagged anime

Por exemplo, quando o seu namorado está se fazendo de idiota e você quer chutá-lo…mas o sorriso dele é tão lindo, e você o perdoa. Você sempre acaba se rendendo aos seus sentimentos.

Leave a comment »

Again – YUI

A vida é longa demais pra apagar esses sentimentos, certo?
As coisas que eu não fiz, estou tentando fazer de novo
Embora eu tenha sido perseguida pela continuação desse sonho
Eu deslizei sobre as pessoas que estavam naquela curva sinuosa

“Não sou eu que quero voltar ao que era, igual aos velhos tempos
Eu estou procurando o céu que nós perdemos
Eu espero que você entenda e deixe de fazer uma cara triste como se tivesse se sacrificado”

O pecado não merece lágrimas
Você sempre esteve carregando isso dolorosamente
E não consegue ver a saída que você esteve no labirinto dos seus sentimentos

Como se soletrasse uma nota diferente
Eu quero me livrar disso da forma mais honesta
È por isso que eu quero fugir
Isso é o que você chama de realidade

Eu quero perguntar, se eu estou vivendo só para você poder me ouvir
Não importa o que for, eu não posso ser incomodada
Eu não tenho nenhum lugar para retornar
Eu sempre fui grata pela sua gentileza, eu queria me tornar forte
Eu dou boas vindas a essa dor nostálgica

Leave a comment »

Recordação

9581

– Vamos criar uma tonelada de recordações juntos!
– Eu realmente não gosto da palavra “recordação”.
– Porque não?
– Nenhuma razão. Em minha classe na escola primária, eu li uma história.
– Que história?
– Uma história chamada “De Que Cor Era o Vestido Daquela Menina”? Já ouviu falar disso?
– Não…
– Duas meninas, chamadas A e B estão recordando uma velha história juntas. Elas entram na conversa sobre um quadro pendurado na parede de um dos corredores das escadarias na escola primária delas. Um quadro de uma menina colhendo flores com um pôr-do-sol vermelho ao fundo. Menina A diz: “Oh! Que nostálgico. Você está falando sobre o quadro da menina com um lindo vestido amarelo, certo?”. Mas a menina B diz, “Não, o vestido que ela estava usando era vermelho, igualzinho ao pôr-do-sol!”. “Não, era vermelho!”. “Não, definitivamente era amarelo.”. “Certo, então por que nós não vamos ver pessoalmente?”. As duas, cheias de excitação, chegaram ao velho prédio da escola. “De que cor era o vestido daquela menina?”.
– De que cor era?
– Ele… Não tinha uma cor. Era apenas um quadro preto e branco. O vestido que a silhueta escura vestia foi desenhado completamente preto. Ainda nas recordações delas, ambas as meninas brigando tinham certeza que o vestido no quadro tinha uma cor. Viu? Recordações humanas são muito vagas. Pensando que tinha cor quando não tinha, tornando as coisas mais dramáticas do que elas realmente são, glorificando as coisas… Dando um significado novo, maior do que realmente há. È por isso que eu não acredito nessa conversa de “recordações bonitas”.
– Em que você acredita, então?
– Você.

Comments (8) »