Posts tagged filme

Tell me.

Tell me. What special talent is it that you have... apart from your obvious youth and beauty?

 

Leave a comment »

Esforço

Os que devem morrer, morrerão. Os que devem viver, viverão. E assim, o ambiente se equilibra. Não é preciso se esforçar tanto pra viver.

Leave a comment »

Leave a comment »

A outra

Maria Bolena  é a irmã mais nova de Ana Bolena, prometida desde os cinco anos para se casar com o filho de um mercado, dias após o seu casamento, fica sabendo pelo tio, que trabalha na alta corte do rei, que rainha havia perdido mais um filho homem, sendo assim o rei não teria nenhum filho para substituí-lo no trono, dessa forma o tio aproveita a situação e faz com que o rei fique hospedado na casa da família Bolena, o pai interessado nos luxos e fortunas que conseguiria se uma das filhas fosse à preferida do rei e lhe gerasse um herdeiro legitimo, trama junto com o tio um plano que vai muito longe e foge do controle nas mãos de Ana e Maria Bolena.
Fatos históricos estão presentes em todos os momentos no filme, apesar de ser um filme longo, ele prende a sua atenção de tal forma, que em diversos momentos você se contorce na poltrona de tanta ansiedade ao ver como as coisas na corte aconteciam e até que ponto uma pessoa perde todos os seus valores em busca de dinheiro e luxos.

Fonte: Cranik

Leave a comment »

A Ilha – Prisão sem Grades

“A Ilha – Prisão sem Grades” conta a história de jovens rebeldes que são enviados a um acampamento de reabilitação em uma ilha remota em Fiji. Para os pais desses jovens, eles estão em uma respeitosa e artística instituição de luxo perto da natureza. Mas na verdade trata-se de um lugar onde os jovens são tratados com disciplina militar e castigos físicos e morais para então devolver o “ex-rebelde” á sociedade. Esses jovens terão de enfrentar o diretor militarista e sua utópica visão de ordem se quiserem escapar.

Leave a comment »

The Fly – Dave Mathews.

Quando eu tiro as asas da mosca
A mosca, a mosca nunca quer saber por que eu o fiz
Quando eu tiro as asas da moscahttps://nyelehendrick.wordpress.com/
A mosca, a mosca nunca quer saber por que eu tirei
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Você sabe, eles nunca
Tiveram que me amar

Não, não, nãohttps://nyelehendrick.wordpress.com/
E ninguém nunca vai
Amá-los agora

https://nyelehendrick.wordpress.com/
Mas eles
Sempre quiseram de alguma forma
Me salvar
Por quê, por quê?
Pelo amor de Deus, eles deveriamhttps://nyelehendrick.wordpress.com/
Ter se salvado
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Mas você https://nyelehendrick.wordpress.com/
Você sempre disse que eu jamais erraria
Uma nota
https://nyelehendrick.wordpress.com/
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Eu sempre só quis ficar
Com você
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Eu só queria alguém
Para brincarhttps://nyelehendrick.wordpress.com/
Brincar, brincar, brincar

https://nyelehendrick.wordpress.com/
Quando eu tiro as asas da mosca
A mosca, a mosca nunca quer saber por que
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Você sabe, eles nunca
Realmente tiveram que me amar
Não, não, não https://nyelehendrick.wordpress.com/
Mas ninguém nunca vai
Amá-los agora
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Mas eles
Eles sempre acharam que de alguma forma
Poderiam me salvarhttps://nyelehendrick.wordpress.com/
Por quê, por quê?
Pelo amor de Deus, eles deveriam
Ter se salvado
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Mas você
Você sempre disse que eu jamais erraria
Uma nota http://nyelehendrick.wordpress.com/
https://nyelehendrick.wordpress.com/

E ninguém nunca me conheceu
Como você conhece
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Você conhece
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Você sempre disse que ia ficar
Tudo bem
Tudo bem
Eu sempre só quis ficar
Com você
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Eu só queria alguémhttps://nyelehendrick.wordpress.com/
Para brincar
Brincar, brincar, brincar
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Quando eu tiro as asas da mosca
A mosca, a mosca nunca quer saber por que eu o fiz
https://nyelehendrick.wordpress.com/

Leave a comment »

Joshua, O Filho do Mal

Joshua é um personagem cliché. Ele é quieto, inexpressivo e reúne características de um psicopata em formação: extremamente inteligente, carece de empatia e é hábil em mentir/manipular. Quando fala, na maioria das vezes é para fazer uma pergunta ou observação constrangedora. O protótipo se desgastou no cinema, mas, no caso em questão, perturba porque é inquietantemente inexplicável: o menino não é o filho da Besta nem a personificação de um espírito ruim. Ele apenas é assim.

E o pior: no final das contas, Joshua acaba sendo muito mais inofensivo do que por exemplo o cruel personagem de Macauley Culkin em “O Anjo Malvado”, que matou um cachorro com um prego, afogou o irmãozinho na banheira, tentou afogar a irmã num lago congelado e atirou a mãe de um precipício. É claro que o Joshua desse filme é muito mais verossímil do que qualquer outro, já que vai tendo seu comportamente piorado a cada novo dia. Como todo sociopata, ele começa com um mórbido desejo em matar animais, e hamsters na escola e o cachorro da família.

Bradley e Abby Cairn acabam de ter seu segundo filho, a pequena Lily. Joshua, o filho de nove anos do casal parece aceitar muito bem a chegada da nova integrante da família. Estranhamente bem para uma criança que acaba de ganhar uma nova irmãzinha. Mas o comportamento de Joshua não é dos mais comuns, mas nisso nada tem a ver a chegada da irmã. Mas esse comportamento peculiar também não é despropositado. Ele é fruto de uma depressão pós-parto de Abby, fato que se estendeu até o presente momento, algo que pode ser observado pelo comportamento da mãe em relação a Joshua. Temendo ter uma nova depressão após o nascimento de Lily, Abby passa a se preocupar com os mínimos detalhes a fim de prever que isso aconteça novamente, mas tudo parece estar acontecendo para fazê-la perder a cabeça. E Joshua vai se mostrando muito mais obscuro e muito mais esperto do que qualquer poderia imaginar, à medida que acontecimentos estranhos passam a acontecer na casa dos Cairn.

“Esse filme é um controle de natalidade fundamental”, aponta o crítico Brandon Fibbs. “Se você planeja ter filhos um dia, não o veja. Se já tem, você nunca vai olhar para eles da mesma forma de novo.”

“Joshua – O Filho do Mal” é muito mais sutil do que qualquer marketing o vende. O seu lento desenrolar pode deixar o espectador mais impaciente afobado, mas é tudo em prol de um desenvolvimento tridimensional dos personagens.

Leave a comment »