Posts tagged você

Descobrir o seu pensar

473

Talvez eu esteja me sentindo perseguida por aquele porque, mas me pergunto se de fato me esforcei para responder a questão. Não tenho muita certeza se quero mesmo entender o que você pensa, descobrir em mim um poço tão escuro que de suas profundezas os seus atos façam sentido. No entanto, pouco a pouco, aos trancos e barrancos, aprendo a sua racionalidade.

Anúncios

Leave a comment »

História.

2155826320_81931bcf1e_o

Olhando em retrospecto, talvez eu ter dito que queria mais “história” fosse uma forma de aludir ao fato de eu querer mais alguém para amar. Nós nunca dissemos essas coisas um ao outro; éramos tímidos demais. E eu ficava nervosa só de pensar que algum dia você pudesse imaginar que não era suficiente para mim. Na verdade, agora que nos separamos, eu gostaria de ter superado a minha própria timidez e ter-lhe dito mais vezes que me apaixonar por você foi a coisa mais espantosa que já me aconteceu na vida. Não só o me apaixonar, essa parte banal e finita, mas o estar apaixonada. Nos dias que passávamos separados, em cada um deles, eu o recriava na minha imaginação. Escutava você me chamando de algum canto, muitas vezes num tom irascível, grosseiro, exigente, mandando segui-lo porque eu era sua, como se eu fosse um cachorro. Mas eu era sua, não me ressentia com aquilo e queria que você exigisse.
Nunca, jamais deixe de lhe dar valor. Foi você que começou – feito alguém que nos dá de presente um único elefante esculpido em ébano e, de repente, a gente encasqueta que seria divertido começar uma coleção.

Leave a comment »

The Fly – Dave Mathews.

Quando eu tiro as asas da mosca
A mosca, a mosca nunca quer saber por que eu o fiz
Quando eu tiro as asas da moscahttps://nyelehendrick.wordpress.com/
A mosca, a mosca nunca quer saber por que eu tirei
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Você sabe, eles nunca
Tiveram que me amar

Não, não, nãohttps://nyelehendrick.wordpress.com/
E ninguém nunca vai
Amá-los agora

https://nyelehendrick.wordpress.com/
Mas eles
Sempre quiseram de alguma forma
Me salvar
Por quê, por quê?
Pelo amor de Deus, eles deveriamhttps://nyelehendrick.wordpress.com/
Ter se salvado
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Mas você https://nyelehendrick.wordpress.com/
Você sempre disse que eu jamais erraria
Uma nota
https://nyelehendrick.wordpress.com/
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Eu sempre só quis ficar
Com você
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Eu só queria alguém
Para brincarhttps://nyelehendrick.wordpress.com/
Brincar, brincar, brincar

https://nyelehendrick.wordpress.com/
Quando eu tiro as asas da mosca
A mosca, a mosca nunca quer saber por que
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Você sabe, eles nunca
Realmente tiveram que me amar
Não, não, não https://nyelehendrick.wordpress.com/
Mas ninguém nunca vai
Amá-los agora
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Mas eles
Eles sempre acharam que de alguma forma
Poderiam me salvarhttps://nyelehendrick.wordpress.com/
Por quê, por quê?
Pelo amor de Deus, eles deveriam
Ter se salvado
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Mas você
Você sempre disse que eu jamais erraria
Uma nota http://nyelehendrick.wordpress.com/
https://nyelehendrick.wordpress.com/

E ninguém nunca me conheceu
Como você conhece
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Você conhece
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Você sempre disse que ia ficar
Tudo bem
Tudo bem
Eu sempre só quis ficar
Com você
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Eu só queria alguémhttps://nyelehendrick.wordpress.com/
Para brincar
Brincar, brincar, brincar
https://nyelehendrick.wordpress.com/
Quando eu tiro as asas da mosca
A mosca, a mosca nunca quer saber por que eu o fiz
https://nyelehendrick.wordpress.com/

Leave a comment »

Dor.

214

Era como se…

…Cada palavra de amor sussurrada…

…Escorresse pelas costas dele e fosse absorvida.

As costas dele eram largas.

Dava pra sentir o calor e o cheiro de sua pele através da gola de sua camisa.

Aquela era a primeira, e talvez a última vez;

Mas

Senti uma espécie de nostalgia.
Uma dor.

Era doce, mas parecia rasgar o meu peito…

Leave a comment »

Então,o que me fez sair de cima do muro? Você,para começo de conversa. Porque se nós éramos felizes,você não, não exatamente, e eu devia saber disso. Havia um vazio na sua vida que eu não podia preencher. Você fazia o próprio horário,a própria paisagem. Lembro-me de uma vez você tentando se expressar,hesitantemente, o que não fazia o seu gênero; tanto no tocante a sentimento quanto a linguagem. Você nunca se sentiu muito confortável com a retórica da emoção, o que é bem diferente de sentir desconforto com a emoção em si. Você temia que demaisiado escrutínio pudesse ferir os sentimentos, mais ou menos como o manuseio,bem intencionado mas brutal, de uma salamandra por mãos desajeitadas e grandalhonas.

Leave a comment »